SISMA visita o hospital Estadual Santa Casa junto ao Secretário de Saúde, Conselho Estadual e Comissão de Saúde da Assembleia

 Prestes a ser reinaugurada, no próximo dia 23, a antiga Santa Casa de Misericórdia de Cuiabá foi reformada e está agora sob o comando do governo do Estado, sendo denominada de Hospital Estadual Santa Casa, onde recebeu na tarde dessa quarta-feira (17), a visita do Conselho Estadual de  Saúde, do Presidente da Assembleia Legislativa, deputado Eduardo Botelho (DEM) e dos parlamentares que compõem a Comissão de Saúde da ALMT, presidida pelo Deputado Paulo Araújo.

    Recebidos pelo secretário de Estado de Saúde, Gilberto Figueiredo, conheceram as readequações prediais do hospital, onde segundo ele, todos os serviços oferecidos anteriormente serão mantidos e ampliados. Informa que a gestão anterior atendia em média 60% da capacidade através do SUS e que a expectativa, a partir de agora, é que o hospital seja 100% SUS.

    “Entrará em operação as UTIs com tratamento de Nefrologia, Oncológico e em ato continuo já com as cirurgias eletivas, sendo que em 30 dias o hospital deverá estar com a capacidade máxima”, destacou o secretário.

SANTA CASA – Após a inauguração, será necessário ainda um prazo de ao menos dois dias para cumprir os procedimentos de desinfecção e, assim, o hospital voltar a atender a população.

    Ofertará também Serviços de Apoio e Diagnóstico Terapêutico (SADT) como Tomografia, Raio-X, Ultrassonografia, Densitometria Óssea, Cateterismo, Ressonância para crianças, hemoterapia, exames laboratoriais clínico e de anátomo-patológico (usado para o diagnóstico preciso de doenças).

    Já na segunda etapa (30 dias após a reabertura), a unidade passará a ofertar mais serviços à população, atendendo também nas áreas de Cardiologia, Vascular, Ortopedia Pediátrica, Neurocirurgia Pediátrica e cirurgias gerais de média complexidade.

    A equipe de regulação do Estado já iniciou o processo de planejamento para realização das primeiras cirurgias. Além disso, as UTIs já estarão com 100% da sua capacidade em operação, não funcionando de portas abertas, mas através do referenciamento da regulação.

    O hospital contará com 242 leitos, sendo 30 leitos de UTI (11 leitos de UTI Adulto, 10 leitos de UTI Pediátrica e 09 leitos de UTI Neonatal), 22 leitos de Pronto Atendimento infantil, 61 leitos de pediatria (clínica e cirúrgica) e 129 leitos de internação adulta (clínica e cirúrgica).

    O centro cirúrgico possui parque tecnológico moderno com 10 salas de cirurgias e 10 leitos de recuperação pós-anestésica (RPA).

    Segundo Oscarlino Alves, Presidente do SISMA-MT, é importante frisar que o estado assumiu por requerimento administrativo e sua reabertura é de suma importância para os Usuários do SUS nas mais diversas modalidades de atendimento à saúde.

    Esclarece que o Estado assumiu de forma satisfatória e se incumbiu de pagar um aluguel mensal, pois apesar de ser filantrópica a estrutura tem dono e há um passivo funcional, trabalhista e com os prestadores de serviço. Cita também que espera que o modelo sirva como referência para os nove (9) Hospitais Regionais, quatro “natos” com servidores de carreira onde está apontada a necessidade de concurso público, pois tudo é provisório, contratos temporários com a validade de seis meses realizado com dispensa de licitação e em caráter emergencial. 

    Afirma ainda que o SISMA-MT está trabalhando junto à gestão, sensibilizando (o que não se conseguiu no governo passado), da necessidade da reposição da força de trabalho através de concurso, para que se possa investir na carreira, melhorar a qualidade do atendimento, resolver problemas previdenciários porque funcionários temporários contratados de maneira precária não contribuem para a previdência do servidor público (MTPREV) gerando vários problemas e tem esperança que esse governo se sensibilize com essa questão, finaliza.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Outras notícias

© SISMA-MT – 2021. Todos os direitos reservados.