SISMA participa de ato em defesa da aposentadoria

A categoria do SUS Estadual participa nesta sexta-feira, 22 de março, do Dia Nacional de Luta em Defesa da Previdência. O movimento é convocado pelas Centrais Sindicais será realizado às 16h, na Praça Ipiranga, região central da capital, e ganha reforço dos servidores públicos da Saúde.

O presidente do SISMA, Oscarlino Alves ressalta que a Reforma da Previdência traz prejuízos a atual geração e as futuras também, forçando os trabalhadores a assumirem os desvios de recursos da previdência, desvinculação dos recursos da seguridade social e mantendo privilégios a exemplo das forças armadas.

O Projeto de Emenda Constitucional (PEC) nº 006/2019 tramita no Congresso Nacional, e impõe a obrigatoriedade da idade mínima de 65 anos (homens) e 62 anos (mulheres) se aposentarem, aumenta o tempo de contribuição de 15 para 20 anos para receber benefício parcial e acaba com a vinculação entre os benefícios previdenciários e o salário mínimo. Isso significa que os reajustes dos aposentados serão menores do que os reajustes dos salários mínimos.

Toda a classe trabalhadora será prejudicada com a reforma com destaque as mulheres com o maior prejuízo.

A reforma prevê, ainda, que a idade mínima aumentará a cada quatro anos a partir de 2024. Ou seja, a regra para que um trabalhador possa se aposentar no futuro poderá ficar ainda pior.

“A reação deve ser agora, nas ruas, nas praças. Reaja agora, ou morra trabalhando!”, sintetiza Oscarlino.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Outras notícias

© SISMA-MT – 2021. Todos os direitos reservados.