SISMA orienta servidor que contraiu a Covid-19 a registrar CASS

Considerando que a COVID-19 pode ser enquadrada como doença ocupacional, reconhecida pelo Supremo Tribunal Federal (STF), o Sindicato dos Servidores Públicos da Saúde do Estado de Mato Grosso (SISMA/MT) orienta os filiados na ativa a preencher a Comunicação de Acidentes e Agravos à Saúde do Servidor (CASS), caso testem positivo para o novo Corona Vírus.

Imediatamente após o diagnóstico da doença o servidor deve imprimir e preencher o CASS e procurar a Comissão Local de Saúde do Trabalhador, com o resultado do exame positivo em mãos.

A presidente do SISMA/MT, Carmen Machado, destaca que em caso de dúvidas ou dificuldades para o realizar o registro, o servidor pode procurar o sindicato para auxiliá-lo. “Os servidores da saúde atuam na linha de frente e correm maior risco de contaminação, pela doença, no ambiente laboral. Por isso, o registro é tão importante, a não comunicação do acidente de trabalho e agravos à saúde, pode trazer dificuldades futuras considerando, que a covid-19 é uma doença nova, desconhecida e que pode apresentar sequelas”, explica a presidente. Carmen ainda reforça, que caso ocorra a negativa em protocolar o CASS, o servidor pode procurar o SISMA/MT para protocolo via sindicato.

No serviço público, o registro do CASS salvaguarda os direitos do servidor considerando as previsões legais, em caso de danos causados aos servidores, que enquanto atuavam no período da pandemia foram contaminados.

Nem sempre o profissional da saúde recebe o diagnóstico no primeiro atendimento e isso pode atrasar o processo, mas este deve ser realizado, como foi o caso da profissional técnico de nível superior do SUS, Andreia Maria da Cruz Oliveira Amorim. Os sintomas da servidora começaram em dezembro, com dor nas costas, dor de cabeça e generalizada pelo corpo, além da perda de olfato. A servidora informou a chefia imediata, sobre o diagnóstico, pelo whatsapp, considerando a necessidade do isolamento. E voltará a procurar o atendimento médico em busca dos laudos que confirmem a doença para que possa documentar e realizar o CASS.

“Fico mais tranquila porque não tenho comorbidades, e a tomografia apresentou que o meu pulmão está preservado. Procurei atendimento na Santa Casa, onde fui bem atendida, e apesar do resultado negativo do teste rápido, os sintomas permaneciam e a doença foi confirmada por diagnóstico médico”, relatou Andreia.

O formulário da CASS está disponível no Link http://www.mt.gov.br/-/8487758-servidor-que-sofrer-acidente-do-trabalho-deve-relata-lo-por-meio-de-formulario

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Outras notícias

© SISMA-MT – 2021. Todos os direitos reservados.