NOTA DE REPÚDIO contra a perseguição da APROSOJA aos servidores e serviço público

O Sindicato dos Servidores Públicos da Saúde do Estado de Mato Grosso SISMA-MT torna público o seu repúdio em relação às falas e ações da APROSOJA que representa os “Barões” do Agro, que em campanha midiática e difamatória com informações totalmente enganosas sobre os servidores públicos a fim de continuar se beneficiando de isenções e incentivos fiscais ao custo do dinheiro do contribuinte (nele inseridos os tributos pagos por servidores públicos!) enganando a população com discursos de austeridade e diminuição da máquina pública para auferir maiores vantagens a seus já abastados representados.

Trata-se de uma representação de barões que cresceram à custa do dinheiro público protegido por leis (Kandir e FETHAB – que só atendem aos interesses de produtores) já arcaicas cuja validade, inicialmente elaborada para desenvolvimento de um polo de produção, já se tornou desnecessária e abusiva levando hoje o Estado e a população a arcarem com bilhões de reais para sustentar um sistema que em nada agrega à sociedade, pois trabalha com o fim exportador não contribuindo com a geração de emprego e renda, além de prejudicar o abastecimento interno do País auxiliando no desabastecimento de produtos essenciais à alimentação da população e também colaborando com a degradação desenfreada do meio ambiente.

                É notório e de conhecimento geral que os pequenos produtores são os responsáveis pela maior fatia de produção para consumo interno e esses não são valorizados pelo poder público e também estão sendo perseguidos pelos latifundiários que compõe esse sistema espúrio que contribui para o esfacelamento do tecido social e das políticas públicas que atendem as camadas da população que mais necessitam do apoio Estatal e, atualmente estão desassistidas pelo poder público devido à fome e pressão feroz desses por mais recursos públicos que são retirados da saúde, educação, segurança e demais áreas necessárias para o desenvolvimento do bem estar do cidadão.

São oito bilhões em recursos (entre isenções e incentivos fiscais) a disposição dos representados dessa instituição e devido a esse valor exorbitante manipulam informações, pagam o sistema midiático para jogar a população contra aqueles que estão na linha de frente atendendo a população com o intuito de fragilizar o sistema público enaltecendo a Reforma Administrativa para que seus financiados (políticos carreiristas e de interesses escusos) possam tornar o sistema público um cabide de empregos, cujo trabalho será precarizado ainda mais, pois iremos retroceder aos anos oitenta com a entrada no serviço público por indicações e apadrinhamentos para que ações duvidosas sejam desenvolvidas e efetivadas sem o questionamento daqueles que possuem estabilidade e podem questionar e denunciar os desvios legais de gestores que lá estão para atender ordens e interesses desse mercado lucrativo em detrimento dos reais interesses da população.

O discurso de austeridade e da necessidade de enxugamento da máquina visa manter isenções, manter os bilhões que os tornaram ricos através da miséria da sociedade e do sistema escravagista imposto na cobrança e desvio de finalidade do imposto arrecadado da população.

Para aqueles que ainda têm dúvidas basta uma breve pesquisa na internet sobre comparação da geração de emprego pelo agronegócio e a geração de emprego fomentada por pequenos produtores e comerciantes que perceberão o fake News implantado no discurso do atual governo federal e estadual, pois esses latifundiários em nada contribuem para melhoria na geração de emprego e renda no País tratando o dinheiro público como parte de seus negócios empresariais não sobrevivendo sem sugar o dinheiro do contribuinte. São grandes financiadores de campanha para terem suas marionetes dentro do sistema político econômico e manterem benesses e o financiamento Estatal.

O discurso da máquina pesada não se sustenta quando é pesquisado o percentual de trabalhadores públicos que representam apenas 12% da população brasileira em um País continental, número esse muito inferior ao de vários países do terceiro mundo ou de ponta economicamente, porém enxugando a máquina pública e diminuindo os gastos com a própria população em serviços que devem ser ofertados à sociedade com qualidade e mão de obra qualificada para o atendimento, visam sobrar ainda mais recursos (do já escasso financiamento público para áreas essenciais e sociais) para saciar sua fome de poder, influencia para lobbys e dinheiro para seus já abastados bolsos.

Enfim a campanha de ataque perseguição e difamação a servidores e ao serviço público visa aos interesses escusos e pessoais e não ao bem da sociedade, têm o objetivo de manter e ampliar suas benesses ao custo da escravidão e da miséria do trabalhador público brasileiro e da população como um todo, que hoje está sentindo o reflexo dos interesses dessa classe com a alta nos preços de diversos produtos da cesta básica e sentirão ainda mais se não nos unirmos na luta contra a agro exploração do trabalhador brasileiro, só a união da população como um todo poderá frear a fome ávida por exploração cada dia maior do setor que equilibra a balança comercial para lucro próprio e mantém o sistema financiador de candidaturas políticas para manutenção e ampliação dos poucos bilionários que crescem com o dinheiro do contribuinte.

Estamos atentos e não iremos admitir o descaso e a difamação efetuada para defesa de interesses pessoais, a sociedade será informada a cada ação mal intencionada de gestores ligados ao sistema agro explorador e dos megaempresários envolvidos o desmonte do Estado propagando fake News objetivando maiores lucros em cima do suor e trabalho daqueles que realmente produzem para o crescimento e qualidade de vida da população brasileira.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Outras notícias

© SISMA-MT – 2021. Todos os direitos reservados.