Líderes sindicais querem ver servidores do estado sendo tratados como prioridade pelo Governo

A falta de diálogo com o governo levou cerca de 300 servidores a se mobilizarem em frente da Secretaria de Estado de Planejamento e Gestão (SEPLAG), onde cobraram pautas colegiadas das categorias que compõem o Fórum Sindical dos Servidores Públicos do Estado de Mato Grosso.

O ato faz parte da agenda de lutas realizada pelos líderes sindicais do Fórum, com objetivo de ser ouvido pelo governador Mauro Mendes. E até o encerramento da paralisação o governo não se pronunciou para uma mesa de negociação.

Segundo a presidente do Sindicato dos Servidores Públicos da Saúde (SISMA) e uma das coordenadoras do Fórum Sindical, Carmen Machado a principal missão da paralisação era sensibilizar o Governo a ouvir as três principais pautas: Concurso público, não ao confisco dos aposentados e pensionistas e a Revisão Geral Anual (RGA).

“Essas reivindicações dizem respeito não só aos servidores, mas também à população. Caso isso, infelizmente não seja respeitado e o governo não instaure de forma imediata uma mesa de negociação, não nos resta outra alternativa a não ser tomar medidas mais sérias. Uma paralisação geral e uma greve não estão descartadas”, alertou Carmen.

“Independentemente de quem estiver no governo do estado de Mato Grosso apenas a pressão e a organização dos trabalhadores darão conta de reverter o processo de retrocessos dos direitos sociais”, destacou o presidente do Sindicato dos Trabalhadores no Ensino Público de Mato Grosso (Sintep-MT) e membro da coordenação do Fórum Sindical, Valdeir Pereira.

A mobilização contou com a presença e o apoio dos deputados estaduais, Lúdio Cabral e Valdir Barranco, que afirmaram o compromisso de trabalhar pelas demandas dos servidores junto a Assembleia Legislativa, bem como com o governo do Estado.

além de estudantes da Universidade Federal de Mato Grosso (UFMT).

O ato foi encerrado com o apontamento de uma nova agenda de manifestações.

Paralisação no interior

A manifestação dos servidores do poder executivo foi realizada nos principais polos regionais do Estado de Mato Grosso: Rondonópolis, Cáceres, Sinop, Barra do Garças e Tangará da Serra, Juara, Colíder, Pontes e Lacerda e Diamantino.

“Novas manifestações descentralizadas irão acontecer brevemente”, ressaltou a presidente do SISMA.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Outras notícias

© SISMA-MT – 2021. Todos os direitos reservados.