Os membros do Conselho Fiscal juntamente com a Tesouraria, presidência, vice-presidência, Assessoria Jurídica e analista contábil se reuniram nesta quinta-feira (21.03) para análise da prestação de contas referente ao ano de 2018 (Cumprimento do Orçamento 2018 frente às Receitas e Despesas) e o Plano de Ação e Orçamento estimado para 2019, nas ações do Sindicato dos Servidores da Saúde de Mato Grosso (SISMA/MT). A reunião ocorreu na sede do sindicato visando apresentar os números fechados de 2018 ao Conselho Fiscal, para prestação de contas à Assembleia Geral Ordinária agendada para o dia 26 de março, terça-feira, às 14h, conforme Edital de Convocação publicado no Diário Oficial do Estado. (Clique AQUI para acessar)

O presidente do SISMA, Oscarlino Alves analisa que a reunião foi extremamente proveitosa, pois cumpre com as disposições estatutárias e institucionais do Conselho Fiscal, oportunizando a transparência acerca do cumprimento do plano orçamentário aprovado no ano anterior e projetando as finanças para o ano seguinte. As recomendações são executadas de imediato pela diretoria executiva.

Além disso, desde março de 2018 em cumprimento com a solicitação da Assembleia Geral e aumentando a transparência aos filiados, o sindicato vem publicando mensalmente os balancetes contábeis mensais, bem como os demonstrativos de resultados de exercícios (DREs mensais), no portal de transparência do endereço eletrônico da entidade. (CLIQUE AQUI)

PROBLEMAS COM REFLEXOS DIRETOS NAS FINANÇAS

O Conselho Fiscal acompanhou todo o problema que surgiu em agosto/2018, após ser constatado supostos problemas na laje da cozinha do salão de festas e escritório administrativo (piso superior), onde a partir daí todas as providências foram tomadas, tais como convocar a construtora, engenheiro estrutural e arquiteto da obra, desencadeados na gestão passada no ano de 2010.

Esta situação gerou despesas extras devido a contratação de  engenheiros civis e elétricos a parte para a investigação e laudos preliminares.

Os laudos técnicos foram levados à Assembleia Geral Extraordinária do dia 24/9/2018 que determinou acionar a construtora na justiça, onde foi cumprido e o processo está em trâmite. Em se confirmando os problemas estruturais pela perícia judicial, mais despesas extras terão que ser contraídas para tentar salvar o patrimônio do sindicato.

Também é fato que a interdição da cozinha do salão de festas e diminuição da carga sobre a laje do escritório administrativo com mudança para o depósito (fundos) impossibilitaram novas locações aos filiados e a terceiros por prazo indeterminado e laudos técnicos , e desta forma trazendo prejuízos financeiros sem a entrada destas receitas, além do sindicato ter que indenizar todos os contratos de locações já firmados e que representou prejuízo de R$ 35.920,00.


PONTOS POSITIVOS

Mesmo com atrasos pontuais no repasse por parte do governo (desconto em folha) e interdição do salão de festas e escritório administrativo (piso superior) em Cuiabá a atual gestão sindical proporcionou a execução de toda agenda programada para o ano de 2018.

Todo o custeio das Ações Sindicais e Sociais (calendário social) previstos no Plano de Ação para o ano de 2018 foram cumpridos.

Os investimentos aprovados em assembleia da categoria foram executados com a conclusão e entrega da Sede Social de Rondonópolis com 1200 m2 (em setembro), andamento da construção da Sede Social de Cáceres com 1200 m2 (previsão de entrega em maio 2019) e obras na sede Cuiabá com construção de Pista de Caminhada (iluminada), Academia, nova iluminação do campo de futebol e manutenção, reforma e pintura das instalações.

O plano orçamentário de 2018 previu um superávit financeiro de R$ 198.962,77.

“Mesmo com todas as adversidades enfrentadas, finalizamos com todas as despesas de custeio e investimentos pagos com resultado positivo de R$204.121,20 (superávit financeiro) em 31/12/2018”, sintetiza Alves.