- SEGUNDA, 17 DE MAIO DE 2021

Servidores protestam por garantia de direitos


Os profissionais da saúde que trabalham no Hospital Regional de Colíder (630 km de Cuiabá) realizaram um protesto na tarde desta quinta-feira, dia 22. Os trabalhadores se mobilizaram na porta da unidade, e em silêncio, eles empunhavam faixas onde pediam a garantia dos direitos e a valorização das carreiras. A ação conta com o apoio do Sindicato dos Servidores Públicos da Saúde do Estado de Mato Grosso (SISMA/MT).

 

“Esse movimento dos trabalhadores cobrando celeridade nos pagamentos dos adicionais de plantão e noturno, além de muitos servidores que estão sem insalubridade é mais um pedido de socorro da categoria. O objetivo é sensibilizar a Secretaria de Estado de Saúde, para mais vez tentarmos resolver essa questão que afeta profissionais em todo Mato Grosso” comentou a presidente do SISMA/MT, Carmen Machado.

 

Uma das trabalhadoras do hospital conta que após a última divulgação dos atrasos por parte do SISMA, na quinta-feira, dia 15, a Secretaria de Estado de Saúde de Mato Grosso (SES/MT) publicou os pagamentos de alguns adicionais, por meio do Diário Oficial.

 

Porém os atrasos continuam, e no caso do Regional de Colíder, datam de julho de 2020. Ainda de acordo com essa servidora, outro pedido da categoria é que os pagamentos desses adicionais sejam vinculados ao Sistema Webponto, diminuindo assim o tempo de trâmite de processos e acelerando os pagamentos.

 

Atrasos

O SISMA/MT acolheu as reclamações dos trabalhadores e buscou uma resolução administrativa, junto a SES por diversas vezes e em março deste ano, solicitou a intervenção do Ministério Público do Trabalho, para resguardar os direitos dos servidores.

 

A presidente do sindicato, Carmen Machado reforça que os profissionais precisam dos adicionais, uma vez que estão executando suas funções nas unidades de saúde, garantindo o funcionamento 24 horas, extremamente esgotados fisicamente e psicologicamente, ainda considerando o atual cenário de pandemia COVID-19.

 

Além disso, os servidores têm perdas econômicas, pois mesmo com o atraso, os valores não sofrem correção monetária, e a alíquota do imposto de renda altera quando os atrasados são pagos de uma só vez. 

Comentários

Deixe Seu Comentário