- SEXTA, 05 DE MARÇO DE 2021

SISMA estabelece diálogo com secretário que sugere reunião mensal


Na tarde desta terça-feira, 16/02, a presidente do Sindicato dos Servidores Públicos da Saúde do Estado de Mato Grosso (SISMA/MT), Carmen Machado, junto à 1ª-secretária, Tatiana Refosco se reuniram com o titular da Secretaria de Estado de Saúde (SES/MT), Gilberto Figueiredo. Apresentaram pautas reivindicadas pela categoria, tais como a celeridade no pagamento de plantão e insalubridade em atraso, ampliação da ‘verba Covid’, foi proposto, também, uma mesa de negociação e conciliação, objetivando a resolução de questões administrativas evitando, com isso, processos de judicialização. O gestor se mostrou disposto ao atendimento das demandas.

 

“Eu estou secretário, essa casa é de vocês servidores, é nossa. Não temos motivo para estar em lados contrários”, afirmou o secretário da SES/MT durante o encontro. Gilberto Figueiredo pediu ainda que as solicitações do sindicato fossem protocoladas diretamente no gabinete da SES, e se disponibilizou para atender a categoria mensalmente, para monitorar e avaliar o avanço das demandas.

 

Com esse alinhamento, a Presidente vai sugerir aos filiados que documentem os pedidos no sindicato, para que o SISMA possa pautar antecipadamente os encontros, e aumentar as possibilidades de resolução.   “A comunicação é essencial nesse processo. Nós não somos inimigos do Poder Executivo, e neste triênio, queremos inaugurar uma nova política sindical. Podemos ter divergências, mas a relação será pautada no diálogo e no respeito mútuo”, completou a presidente do SISMA/MT Carmen Machado.

 

Pautas

 

Entre os pontos apresentados pelo SISMA/MT e discutidos no encontro estão o pagamento de plantão e insalubridade em atraso; parceria em processos de formação em recursos humanos e educação permanente; desconto de adicional de insalubridade; reinvindicações específicas dos processos de trabalho dos servidores do CIAPS - Adauto Botelho; ampliação da vacinação dos servidores e a prorrogação da ‘verba COVID’, e a criação de uma mesa de negociação e conciliação, objetivando a resolução de questões administrativas evitando, com isso, processos de judicialização, entre outras pautas.

 

Sobre o pagamento dos plantões e insalubridade em atraso, o secretário Gilberto Figueiredo lembrou que no início da gestão o Estado quitou os atrasos, que somavam mais de R$ 12 milhões. “Tenho o entendimento que direito é direito, tem que ser pago, mas também contamos com a compreensão dos servidores, devido ao momento”.

 

A secretária adjunta de Administração Gestão do Trabalho e Educação na Saúde, Cristiane Cruz dos Santos Mello informou que a SES se adiantou e por entender a dificuldade dos profissionais com plantão e insalubridade em atraso, a secretaria está formatando um processo de capacitação junto as equipes de gestão de pessoas das regionais, para minimizar os problemas.

 

Por sugestão da presidente, Carmen Machado, o SISMA/MT será parceiro nessa atividade, acompanhando e contribuindo com o processo de formação. Nesse assunto, o secretário destacou, “juntos encontraremos uma forma de o SISMA contribuir e não temos contrariedade a isso”.

 

Já em relação à vacina dos trabalhadores, Gilberto Figueiredo diz que a vontade de receber a vacina é compreensível, porém é preciso seguir a imunização pela ordem do risco de exposição. Ele ainda pediu que em caso de denúncias relacionadas às vacinas, os servidores procurem os órgãos de controle e documentem o ocorrido. O SISMA também será parceiro no processo de articulação para a vacinação dos servidores, junto aos municípios e no acompanhamento das denúncias.

 

Em relação à ampliação do pagamento da ‘verba COVID’ solicitada pela presidente do SISMA/MT, o secretário informou que está empenhando esforços junto ao Governo do Estado, para que esse auxílio seja continuado, inclusive com o pagamento retroativo a 1º de janeiro.

 

Comentários

Deixe Seu Comentário