- SEXTA, 03 DE JULHO DE 2020

SISMA REPUDIA FALA DO DEPUTADO ESTADUAL WILSON SANTOS

O Sindicato dos Servidores Públicos da Saúde do Estado de Mato Grosso vem a público expor sua indignação e repúdio contra a fala e o posicionamento de contínuo ataque aos Servidores Públicos do poder executivo do Estado de Mato Grosso, exercido pelo Deputado Wilson Santos.


O referido deputado com seu discurso eloquente, porém pernicioso, usa sua representação temporária como deputado para promover um discurso difamatório colocando os servidores públicos do poder executivo como os responsáveis pela situação financeira do Estado e, se não bastasse tal absurdo, ainda usou a fala para dizer que os servidores públicos deveriam receber os seus salários enquanto estivessem na ativa e que se quisessem se aposentar deveriam fazer previdência privada.


Em sua fala de defesa à PEC nº 06/2020 defendeu a integralidade da proposta do governo salientando que os Servidores seriam responsáveis pela falta de UTIs no estado, por causa de suas aposentadorias. Além disso afirmou que os servidores eram mamadores do Estado.


Wilson desrespeita além dos servidores do Estado seus próprios pares dentro da Assembleia Legislativa, servidores públicos eleitos como Deputados, dentre eles os Deputados João Batista, Allan Kardec e o Deputado Paulo Araújo que de imediato saiu em defesa ao trabalhador público espelhando o pensamento de toda a Classe  trabalhadora pública e privada que observa o comportamento agressivo do referido deputado que flerta com o autoritarismo "vendendo a alma" dos mais de 50 mil servidores aposentados em troca de meia dúzia de cargos no Governo.


Discorrer sobre mamatas é infrutífero em um momento de pandemia onde deveríamos resguardar a vida do cidadão e, entre eles estão os servidores públicos do Estado, porém não podemos nos furtar de combater falas mentirosas utilizadas por esse cidadão no uso de um cargo público e reafirmar para a população que os Servidores Públicos cumprem seu dever sendo sujeitos ao desconto previdenciário de 14%, imposto de renda descontado na fonte, não temos salário de 29 mil mais 65 mil de verba indenizatória (como o referido Deputado) então é fácil atacar quem está na linha de frente e participar de uma reunião apenas para tumultuar.


Poderíamos falar de mamatas familiares desse cidadão que usa do cargo eletivo para manter parentes em gabinetes ou negociar cargos, mas a verdade é que o desespero e despreparo desse deputado para amealhar os “bons Louros” do governo, o fazem desprezar o diálogo democrático, a valorização do servidor público que carrega o estado nas costas sem as mínimas condições de trabalho e ferramental, com pavor de cair no ostracismo político subverte suas falas não sustentando de pé aquilo que diz sentado, o que fala em reuniões de grupo tenta colocar como um mal entendido pelos demais em um discurso expúrio e odioso, utilizando sua hipocrisia através de sua oratória bonita de ex-professor de história que na prática é desconstruida por suas ações e como o peixe morre pela boca, “desdizendo” continuamente as sandices proferidas e testemunhadas.


É hora de mostrar a face de quem é quem dentro das Instituições Públicas, de agradecer os Deputados que se colocam em defesa dos Servidores e reconhecem seu trabalho diário, e também seu desempenho árduo nesse momento de caos enfrentando a Pandemia e arriscando suas vidas. Não há mamata para o Servidor Público! Prestamos serviço à sociedade após duros dias e noites de estudo para passar em um concurso, sendo avaliado durante 3 anos em estágio probatório e com avaliações de desempenhos anuais, nos é descontado muito mais do que o trabalhador comum de previdência e se há déficit é culpa de gestores irresponsáveis dentro da previdência e imóveis podres dado em garantia. Há que ser honesto quanto as falhas graves do Estado e da administração por parte deste da previdência dos servidores durante décadas e não culpabilizar aqueles que nunca geriram o plano.


Ainda assim os servidores não fogem a sua responsabilidade de auxiliar o Estado, mesmo não tendo a culpa da má gestão, porém auferir ao servidor a responsabilidade pelo caos é inadmissível e o auxílio dos Servidores Públicos foi formalizado com as propostas do Fórum sindical a PEC nº 06/2020, buscando um meio termo.


Estamos na luta e lembramos que nossa voz irá ecoar, não aceitaremos o peso de uma responsabilidade que não nos cabe, fazemos nossa parte auxiliando o Estado de maneira propositiva e não o defendendo para auferir louros.

Comentários

Deixe Seu Comentário