- SEGUNDA, 15 DE OUTUBRO DE 2018

MT Saúde reajusta tabelas sem apresentar os estudos ao Fórum Sindical

Sem apresentar estudos formais acerca da situação financeira do MT Saúde, o Governo publicou o Decreto nº 1.476 que trata da instituição de índice de recomposição dos valores do plano de assistência à saúde dos servidores públicos de Mato Grosso o MT Saúde. Mesmo com as fortes cobranças feitas pelo Fórum Sindical em todas as reuniões, a atualização dos valores foi publicizada por meio do decreto publicado no Diário Oficial do Estado (D.O.E) nº 27.252, no dia 03 de maio.


A necessidade do reajuste nos valores das mensalidades da caixa assistencial já vinha sendo defendida pelo presidente da autarquia, Basílio Bezerra na audiência pública que tratou da problemática realizada no dia 16 de abril, e também nas reuniões com os sindicalistas.


O presidente do SISMA, Oscarlino Alves que esteve presente nas reuniões junto à equipe do MT Saúde e também na audiência pública  ressalta que foi firmado um compromisso pelo presidente da autarquia em entregar os relatórios que demonstrassem a situação financeira da caixa assistencial para análise do Fórum. “Nossa última reunião com a equipe do MT Saúde foi no dia 27 de abril, quando, mais uma vez o presidente da autarquia, Basílio Bezerra se comprometeu em repassar os relatórios financeiros, para que pudéssemos analisar as finanças como um todo, como o déficit gerado pela falta do repasse por parte do Estado, obrigatório na LC 127/2003, e as dívidas junto aos prestadores de serviços”, sintetizou.


Porém, para publicar o reajuste Basílio usou de sua prerrogativa como gestor da autarquia e reajustou as tabelas.


Diante disso o SISMA, como garante seu presidente, irá continuar a cobrar os estudos formais bem como da melhoria na rede de serviços de saúde. “Vamos intensificar ainda mais a cobrança por melhoria na rede de serviços do MT Saúde, para que os usuários que têm desconto direto em seus salários e pagam coparticipação por boletos tenham atendimento digno e não sofram mais com dano moral e financeiro com as portas fechadas pelos prestadores de serviço”, assegurou Oscarlino.


A cobrança, pela entrega dos relatórios e informações financeiras, continua por parte do Fórum Sindical, e o presidente do MT saúde se comprometeu em concretizar a entrega dos documentos esta semana ainda. “O MT Saúde já chegou a atender cerca de 60 mil usuários e hoje não passa de 24 mil justamente pelo descrédito por parte dos servidores públicos que pagam e não tem o serviço e pela rede de serviços que presta o serviço e não recebe pela má gestão sucessiva e descumprimento do acordo por parte do governo”, desabafou o dirigente sindical.

 

A expectativa, segundo Oscarlino, é que a equipe do MT Saúde se empenhe para pagar os prestadores de serviços em dias e que tenha uma rede em expansão para resgatar a credibilidade dos servidores públicos e do mercado. “O MT Saúde teve seu apogeu, e acreditamos que com empenho e boa gestão é possível voltar a ser uma caixa assistencial que cumpra com sua missão de prestar atendimento digno ao servidor público”, finalizou.

Clique AQUI e acesse o Decreto nº 1.476, de 03 de maio de 2018.

Comentários

Deixe Seu Comentário