O presidente do Sindicato dos Servidores Públicos da Saúde do Estado de Mato Grosso (Sisma-MT), Oscarlino Alves, divulgou nota de repúdio ao Governo do Estado que, na sexta-feira (10), deixou de pagar os salários 3800 servidores da Secretaria de Estado de Saúde (SES-MT).

Oscarlino desmentiu a matéria no site do governo (www.mt.gov.br) informando que toda folha salarial do funcionalismo público, referente ao mês de fevereiro, fora quitada ontem (09.02). Conforme o sindicalista, a situação só será regularizada na segunda-feira (12).

“Servidores que hoje estão sem seus salários em casa ou nos plantões dos Hospitais Regionais e SAMU, fazendo contas para pagarem juros e correções aos bancos e credores, mas trabalhando pra salvar vidas”, criticou o presidente do Sisma.

Ele comentou ter conversado com o secretário de Fazenda (Sefaz-MT), Rogério Gallo, na manhã deste sábado (10). Ele confirmou a falta de pagamento alegando problemas de ordem técnica.

Só existem realmente duas possibilidades para tal fato lamentável e trágico para nossas famílias: 1) Ou não tinham recursos no banco; 2) Ou ocorreu algum problema de ordem técnica, já que no Financeiro da secretária de Saúde tem muitos servidores temporários, porque não temos concurso há 16 anos”, destacou na nota de repúdio.

Ele salientou que essa será mais uma prova contundente no escopo das ações judiciais do Sisma contra os atrasos salariais dos servidores da Saúde  

“O SISMA não possui as chaves do cofre do erário público e nem tão pouco necessita se rastejar ou render obediência à governo para receber seus salários na data correta. É obrigação do Estado pagar em dia e ainda mais de área essencial como é a saúde pública. Meus sentimentos e solidariedade aos colegas da saúde”, conclui na nota Oscalino.  

Confira o texto na íntegra:

Nota de Repúdio ao governo

É com profundo pesar que vimos aos servidores públicos da saúde do Estado de MT manifestar nossa solidariedade e repúdio aos governantes.

Servidores que hoje estão sem seus salários em casa ou nos plantões dos Hospitais Regionais e SAMU, fazendo contas para pagarem juros e correções aos bancos e credores, mas rabalhando pra salvar vidas.

Essa nota do Governo passa a se configurar em mais uma promessa não cumprida. Não pagaram os guerreiros do SUS!

Falei hoje pela manhã com o secretário de fazenda que me atendeu cordialmente e me garantiu ter ocorrido um erro técnico e que iria averiguar.

Até porque segundo notas oficiais pagaram a dívida com o Bank of América e as demais categorias de servidores públicos e a saúde resta o cartão de crédito ou cheque especial.

Só existem realmente duas possibilidades para tal fato lamentável e trágico para nossas famílias:

1) Ou não tinham recursos no banco;

2) Ou ocorreu algum problema de ordem técnica, já que no Financeiro da secretária de Saúde tem muitos servidores temporários, porque não temos concurso há 16 anos.

Aos falsos profetas de plantão que atiçam fogo e se aproveitam do momento difícil de nossas famílias com pretenção política, digo que não acredito na hipótese de que pelo fato da categoria da saúde ter sido uma das protagonistas da Greve histórica pela RGA de que estaríamos sendo retaliados pelo atual governo.

Se fosse assim estaríamos lidando com pessoas desumanas, e sinceramente não acredito nisso.

O SISMA já tomou providências há meses atrás na Justiça em relação aos atrasos nos pagamentos dos nossos salários. Será mais uma prova contundente de nossas ações judiciais, lembrando que a Justiça demora.

O SISMA não possui as chaves do cofre do erário público e nem tão pouco necessita se rastejar ou render obediência à governo para receber seus salários na data correta.

É obrigação do Estado pagar em dias e ainda mais de área essencial como é a saúde pública.

Meus sentimentos e solidariedade aos colegas da saúde.

Eu sempre digo, vocês são meus heróis!

Oscarlino Alves

Presidente do SISMA/MT  

Sisma-MT, Oscarlindo Alves,