- SEXTA, 20 DE ABRIL DE 2018

Servidores do Escritório Regional de Saúde de Sinop participam de palestra sobre Hanseníase

Foi realizada na manhã desta sexta-feira (26.01) uma palestra abordando a Hanseníase, voltada aos servidores lotados no Escritório Regional de Saúde (ERS) Sinop. A explanação foi feita pela médica do Centro Municipal de Referência em Hanseníase e Tuberculose, Érica Pedraça da Silva Moreira, nas dependências do Escritório e objetivou orientar os servidores quanto à doença.


De acordo com o representante do SISMA no ERS, Bruno a explanação foi esclarecedora e possibilitou sanar muitas dúvidas. 


A palestra ocorre um dia após o Dia Nacional de Combate e Prevenção da Hanseníase, enfatizando que a doença tem cura e que todo o tratamento é feito pela rede básica de saúde do SUS. A médica buscou reforçar as informações focando no contágio e tratamento, após resultado positivo.


O alerta para os servidores ocorre devido aos casos positivos que foram encontrados no município. Porém, nosso Estado permanece no topo do ranking nacional com maior incidência de hanseníase há mais de 30 anos, de acordo com dados da Secretaria de Vigilância em Saúde do Ministério da Saúde.


Em 1990 o Estado contabilizou 100 casos por 100 mil habitantes e, em 2015, foram 90 casos por 100 mil habitantes, ou seja, houve uma redução de apenas 10%. Mas os índices de Mato Grosso estão longe da média nacional que é de 20 casos por 100 mil habitantes, e mais distante ainda do aceitável para a Organização Mundial de Saúde (OMS) é de 10 doentes por 100 mil habitantes. 


HANSENÍASE


A Hanseníase é uma doença bacteriana e contagiosa. É transmitida por um bacilo que passa de uma pessoa doente que não esteja em tratamento, para outra, por secreção nasal, espirros e tosse. É importante esclarecer que a doença não é transmitida por compartilhamento de copos, abraços, nem de pai para filho.


O paciente com hanseníase apresenta, em sua maioria, manchas esbranquiçadas na pele com baixa sensibilidade e sensação de formigamento. Diminuição da força dos músculos e nódulo no corpo. E isso é o que traz mais estigma ao paciente, pois, quando tratado tardiamente, pode causar deformidades nas mãos e pés.

A doença tem cura, e o tratamento é feito integralmente pelo Sistema Único de Saúde, além de possuir um diagnóstico simples. É primordial saber que assim que o paciente recebe a primeira dose do tratamento, ele deixa de transmitir a doença.


Entretanto, a Hanseníase não é doença erradicável, visto não existir vacinas para imunização. A doença existe no mundo inteiro, e é passível de controle.


GALERIA DE IMAGENS

Comentários

Deixe Seu Comentário