1º de Maio Unificado: “Em Defesa da Aposentadoria, por emprego e salário decente”

O dia 1º de maio, data alusiva ao dia do Trabalhador, se constitui em uma data de luta por avanços, conquistas  e manutenção de direitos conquistados pela classe trabalhadora.
Em 2019 o Sindicato dos Servidores Públicos da  Saúde de Mato Grosso acompanhando Centrais Sindicais e diversos sindicatos matogrossenses convocam os servidores e toda sociedade  a participarem da mobilização e luta em defesa da Aposentadoria, pela manutenção e geração de empregos em busca de salários decentes.
O SISMA tem participado de diversas reuniões durante o mês de abril  na busca de viabilizar e auxiliar na mobilização dos trabalhadores para enfrentar os constantes ataques do atual governo à classe trabalhadora que é quem movimenta a economia desse País.
*Histórico*
Oscarlino Alves, Presidente do SISMA, faz um apanhado histórico da data: “desde que eu me entendo por gente, é um dia de luta. Por todo lado é feriado com certeza, mas dia de ir à manifestação em homenagem a todos os trabalhadores do mundo. As comemorações do 1º de Maio têm muito mais idade que isso, 130 anos desde a primeira manifestação de trabalhadores lutando por seus direitos, ou seja as 8 horas de trabalho diário. Aconteceu em 1886, em Chicago, Illinois, nos EUA. Uma manifestação imensa, milhares de trabalhadores e uma greve geral que começava que  ficou conhecida como a Revolta de Haymarket que durou até o 4 de maio, onde ocorreu a morte de várias pessoas e a repressão correu solta. Contudo,  foi só em 1889 que a data foi consagrada. No ano seguinte, milhões de trabalhadores da Alemanha, Áustria, Hungria, Bélgica, Dinamarca, Espanha, Holanda, Grã-Bretanha, Itália, Suíça e dos Estados Unidos mostraram seu apoio à redução da jornada de trabalho fazendo uma greve no dia 1º de maio e desfilando pelas ruas de suas cidades.
Em 1890 o Congresso americano aprovou a redução da jornada de trabalho para 8 horas diárias, porem os EUA até hoje não reconhecem essa data como Dia do Trabalhador. Em 1919 o senado francês também aprovou a jornada de 8 horas e proclamou o 1º de maio como dia dos trabalhadores e feriado nacional. Em 1920 foi a vez da Rússia incorporar a data ao seu calendário de feriados nacionais e, daí em diante, muitos outros países seguiram o exemplo”, finaliza Oscarlino.
 No Brasil, o dia 1º de maio foi decretado feriado nacional pelo presidente Artur Bernardes em 1924.
Ao contrário do que diz o governo a reforma da Previdência não vai garantir a aposentadoria das gerações futuras nem da atual, vai restringir o acesso à aposentadoria e reduzir o valor dos benefícios, em especial dos trabalhadores mais pobres.
Se o Congresso Nacional aprovar o texto da Proposta de Emenda Constitucional (PEC 06/2019) milhares de trabalhadores e trabalhadoras não vão conseguir se aposentar e muitos se aposentarão com benefícios de menos de um salário mínimo. E os que já estão aposentados terão o valor dos benefícios achatados.
Reforma da Previdência não vai garantir benefícios para gerações futuras, vai dificultar a concessão da aposentadoria e reduzir o valor dos benefícios. A luta pela aposentadoria é de todos e todas. Participe!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Outras notícias

© SISMA-MT – 2021. Todos os direitos reservados.