- SEXTA, 15 DE DEZEMBRO DE 2017

CIRCUITO MT: Amamentar é muito mais do que um ato de amor

A amamentação é um processo essencial para a saúde do bebê. Vários estudos indicam o aleitamento materno como única forma de alimentação até o sexto mês de vida, reduz a mortalidade infantil, além de ser fundamental para o crescimento e desenvolvimento da criança. A amamentação também é importante para estabelecer uma maior relação afetiva entre mãe e filho. E para conscientizar as mães sobre a importância da amamentação, agora temos no Brasil o Agosto Dourado.

De acordo com o mastologista João Bosco de Barros Wanderley, o leite materno ajuda no crescimento, reduz índice de obesidade, diabetes, doenças vasculares, infecções respiratórias e protege contra a diarreia 14 vezes mais em relação a quem não recebe o leite natural.

“A amamentação diminui a incidência de câncer de mama e de ovário, acelera a recuperação do útero e evita a anemia. Além disso, o leite materno também traz benefícios à saúde da mãe”, explica.

Para marcar o Agosto Dourado, acontece esta semana em Cuiabá o Encontro de Aleitamento Materno, o EMAMA, promovido pela Superintendência de Atenção à Saúde da Secretaria de Estado de Saúde de Mato Grosso (SES), e organizado pela Coordenadoria de Promoção e Humanização da Saúde.

Do evento participam a população em geral, servidores da saúde do Estado e dos municípios, representantes de unidades de saúde particular, acadêmicos de Medicina, Enfermagem e Assistência Social, e entidades sociais que atuam em defesa dos direitos da mulher e da criança.

O mês de agosto foi escolhido para a realização do EMAMA pelo fato de ter sido instituído por lei federal o mês do "Agosto Dourado".  A ideia de dedicar um mês do ano para o aleitamento materno foi do servidor de carreira da SES, Rodrigo Carvalho.

No final de 2012 ele propôs ampliar a promoção do aleitamento materno, passando de uma semana, conforme a Semana Mundial do Aleitamento Materno, para um mês. Esse projeto ganhou força em todo o país, e, em 12 de abril de 2017, se consolidou por meio da Lei Federal nº 13.435, que instituiu agosto como o mês do Aleitamento Materno.

“É uma oportunidade para a sociedade fortalecer os laços de proteção à amamentação, aumentar o índice de aleitamento no Estado e avançar na política pública de promoção e apoio às ações municipais de saúde integral à mulher e à criança”, enfatizou Rodrigo Carvalho.

Rodrigo observa que a cor dourada representa o padrão ouro do leite materno para o recém-nascido e crianças com até 2 anos de idade; o dourado é simbolizado em um laço que representa a mãe o filho e o nó do laço simboliza a família, de onde deve vir o primeiro apoio ao aleitamento.

O 1º EMAMA proporciona à população em geral espaços de oficinas, roda de conversa, apresentação de trabalhos científicos sobre o tema relatando experiências positivas que foram desenvolvidas em 2016, apresentações culturais voltadas para a amamentação, inclusive com a presença da musicista Isadora Canto, fundadora do Materna em Canto e do projeto Acalanto Brasil, além de premiações a profissionais dos setores público e privado que atuam em defesa do aleitamento materno em Mato Grosso e em outras partes do país.

Benefícios do leite materno

Segurança

- A amamentação tem papel importante no sistema nervoso da mãe, diminuindo o estresse. Além disso, o contato com a mãe faz com que o bebê se sinta mais seguro e tranquilo, evitando o choro e a ansiedade dele.

Imunidade

- O leite materno exerce um importante papel na imunidade dos bebês, pois contém células de defesa e fatores anti-infecciosos capazes de proteger o organismo do recém-nascido. As infecções comuns dos primeiros seis meses, como a otite, afetam menos as crianças que são amamentadas.

Mais ferro

- O leite materno contém muito mais ferro e concentrações menores de cálcio quando comparado ao leite de vaca. O ferro presente nos outros leites não é suficiente para o bebê, sendo necessária a suplementação. Já o cálcio em abundância nos outros leites pode inibir a absorção do ferro, diminuindo ainda mais a presença desse nutriente no organismo do bebê e favorecendo a anemia ferropriva.

Dentição

O movimento de amamentação é excelente para a dentição e para a fala do bebê. “Há estímulo para o desenvolvimento dos ossos do crânio e da face, fazendo com que os dentes se encaixem de forma adequada", diz a fonoaudióloga Andrea Motta, da Sociedade Brasileira de Fonoaudiologia. "Amamentar também promove estímulos favoráveis ao desenvolvimento da musculatura da boca e da face, o que futuramente irá refletir na respiração, fala, mastigação e deglutição", diz. 

Doenças respiratórias

- Um estudo publicado no European Respiratory Journal revelou que bebês alimentados exclusivamente com leite materno nos primeiros menos seis meses têm menos chances de desenvolver sintomas de asma na infância, como chiados no peito e catarro persistente. Outra pesquisa, desenvolvida pela Universidade de Southampton, na Inglaterra, e pelas universidades do Estado de Michigan e Carolina do Sul, nos Estados Unidos, descobriu que crianças que foram amamentadas por pelo menos quatro meses tinham funcionamento melhor dos pulmões. 

Alergias

- O esforço do bebê para sugar o leite ajuda no desenvolvimento dos pulmões, fortalecendo o órgão contra alergias. Outros estudos mostram que as alergias começam no primeiro ano de vida e quase sempre estão associadas à proteína do leite de vaca. (Fonte: www.minhavida.com.br)

Comentários

Deixe Seu Comentário